Retenção de líquidos

Muitas pessoas (geralmente mulheres) fazem retenção de líquidos sem o saber e acabam por não tratar o problema, outras acompanham-se de garrafas de chá para ajudar na (famosa) retenção que afinal não têm.

Identificar os sintomas é o primeiro passo para compreender o que se anda a passar com o seu corpo e, ao contrário do que a maioria das pessoas tende a pensar, quanto mais água consumirmos, menos vai ficar retida.

Compreender este problema

Cerca de 60 por cento do nosso corpo é composto por água e o nosso organismo está preparado para, falando de forma prática, saber manter o equilíbrio dessa água (a que fica e a que é eliminada). Segundo a Medical News Today, quando existem desequilíbrios no corpo, uma das formas que ele tem de reagir é acumular água em certas zonas — daí que a retenção seja muito comum no período pré-menstrual. Os líquidos saem dos vasos sanguíneos e acumulam-se normalmente nas pernas, tornozelos, mãos, pés e abdómen, provocando o aspecto inchado da pele (o nome correcto é edema), sensação de pernas pesadas, desconforto e um aumento de peso até 2,3 quilos.

Porque é que a retenção acontece?

As alterações hormonais podem contribuir e, muito, para este problema, bem como a hereditariedade, a falta de exercício, a pouca ingestão de líquidos ou a forma como nos alimentamos: a falta de certas vitaminas pode ser a causa do problema, assim como ingerir muito sal, uma vez que este dificulta a eliminação da água do organismo.

Mas segundo o Washington Post, há mais factores na origem da retenção, e podem ser coisas banais do dia-a-dia: roupa demasiado apertada, ficar muito tempo sentado ou em pé, stress, ansiedade, temperaturas muito elevadas, pressão atmosférica (andar de avião). Cenários mais alarmantes e que merecem alguma atenção e uma visita ao médico são outras causas (cuja retenção de líquidos pode ser só um sintoma) como o hipotiroidismo, sobrecarga hepática com ou sem ptose abdominal, insuficiência renal, cardíaca ou problemas circulatórios.

Identificar a retenção de líquidos

Há um teste fácil de fazer em casa e que ajuda a perceber a olho nu se sofre, ou não, deste problema. Geralmente, a maioria das mulheres consegue perceber os sinais do “inchaço” em zonas mais susceptíveis, como as pernas. Se comprimir ou apertar de forma contínua a pele das pernas e, quando soltar o dedo, ficar marcado, doer ou a pele demorar algum tempo a voltar ao normal, é porque está a reter líquidos nessa zona.

Como combatê-la

Manter-se hidratado é o primeiro passo. Pode parecer um paradoxo mas, ao ingerir líquidos, vai ajudar o corpo a eliminar de forma mais eficaz as toxinas acumuladas, libertando-se assim da retenção. Aconselha-se ainda:

- Ingerir muita água, infusões e chás ao longo do dia (uma mulher adulta deve beber diariamente 1,5 litros de líquidos e um homem 1,9 litros) e consumir alimentos ricos em água e potássio como vegetais e fruta (que estimula a eliminação de água do organismo).

- Drenagens linfáticas podem ajudar quem tem dificuldade em eliminar os líquidos do corpo, tal como um duche a jato.

- Diminuir drasticamente o consumo de sal. Segundo a Organização Mundial de Saúde, o máximo de sal que devemos ingerir por dia ronda os 5 gramas, quando a média de consumo anda nos 12 gramas.

- Praticar atividade física com frequência e evitar o sedentarismo. O meio aquático para esta prática é um meio excecional visto que a pressão hidrostática (pressão da água quando estamos dentro de uma piscina por exemplo) ajuda a reduzir este tipo de edemas quer nas pernas como no abdómen.

- A osteopatia visceral também lhe poderá dar uma excelente ajuda em muitos casos de retenção de líquidos pois contribuiu para um maior equilíbrio nas tensões intra-abdominais facilitando o sistema vascular e linfático a realizar o seu trabalho.

 

Contactos

(+351) 212 905 655
(+351) 916 189 585
geral@thalassocaparica.com


Av. 1º Maio 25-A
2825-397 Costa da Caparica
Portugal